Separe ganhos e despesas pessoais do seu negócio

Se você é autônomo ou freelancer, por exemplo, deve manter as finanças da sua empresa separadas das suas. Calcule seu salário / pró-labore e crie uma reserva com nossas dicas!

Homem com notas de 100 reais nas mãos

Você e sua empresa não são a mesma coisa, mesmo que o único membro de sua empresa seja você mesmo. Na teoria isso parece óbvio, mas na prática não é como funciona pra muita gente.

Afinal, quando um cliente faz um pagamento, a grana é sua e de ninguém mais. Só tem você na empresa mesmo – pra que complicar? Mas… será que é tão simples assim?

Nesse texto vou falar um pouco sobre a importância dessa separação não só de ganhos, mas de despesas também. Tudo com o intuito de deixar seu negócio ainda mais profissional e seguro.

Separando o pessoal do profissional

Sua empresa tem gastos operacionais, precisa de caixa, reservas…

Você tem gastos pessoais, com lazer, precisa guardar um dinheiro para a aposentadoria…

Na prática a gente sabe que cada vez mais o trabalho de quem trabalha em casa se mistura com a vida pessoal do profissional. Isso pode ser bom ou ruim – depende da disciplina (e saúde) de cada um.

Mas é importante manter ao menos a parte de finanças separadas, principalmente pensando em emergências ou investimentos.

Se seu computador pifar, por exemplo, você tem uma grana reservada na empresa para fazer um reparo ou até mesmo uma reposição ou vai ficar um tempo sem trabalhar?

Se você quiser viajar, vai ter um dinheiro tanto para a viagem quanto para os dias que ficar sem trabalhar?

São raciocínios bem simples que na prática fazem toda a diferença.

Como calcular gastos da empresa

Vamos supor que você seja redator. Você trabalha em casa, é MEI e não tem despesas com materiais e coisas do tipo.

O que considerar como gastos, nesse caso? Eis algumas sugestões:

  • Plano de internet: você assinaria o plano que assina hoje se não trabalhasse em casa? Leve isso em consideração. Você pode considerar que metade dessa mensalidade é de responsabilidade da empresa, por exemplo;
  • Energia elétrica: certamente você gastaria menos energia elétrica se trabalhasse fora de casa. Aqui você também pode fazer uma divisão meio-a-meio;
  • DAS do MEI: a mensalidade do MEI deve ser paga na íntegra pela empresa por motivos óbvios;
  • Hospedagem e domínio do seu portfolio: se você tem um site, certamente tem algum gasto mensal ou anual. Isso também é um gasto da empresa;
  • Aluguel: parte de sua casa é o escritório. Nada mais justo que pegar uma porcentagem disso para que a empresa pague;
  • Seu pró-labore (salário): falarei sobre isso no próximo tópico;
  • Equipamentos e manutenção: quanto custou cada equipamento que você utiliza profissionalmente hoje? Monitor, computador, teclado e por aí vai. Some tudo e divida em 12. Guarde esse valor.

Como você pode ver nas sugestões acima, alguns gastos são fixos (ou seja, todo mês serão sempre iguais) e outros variáveis (são os gastos que têm valor diferente mês a mês). Nesse caso, você deve manter tudo anotado sempre.

Ou seja: mantenha uma planilha para sua empresa.

Caixa para emergências

É imprescindível manter uma reserva de emergências. Afinal, como eu disse acima: se seu computador quebrar, você estará preparado financeiramente para isso?

Lembra do último item da lista acima (a soma dos valores de todos os seus equipamentos)? Tente guardar parte dos seus recebimentos mensais para criar uma reserva de emergência. Guardando um valor X a cada mês, em um ano você poderá ter o suficiente para repor tudo o que tem hoje em seu escritório.

Mas não para por aí: e nos meses de vacas magras?

Tenha também uma reserva para retiradas, como por exemplo 3 salários. Isso garante que você terá um dinheiro a receber mesmo nos meses de pouca movimentação, o que pode acontecer quando você trabalha por conta própria.

É duro ter toda essa grana parada sem poder mexer nela? Claro, sem dúvidas. Mas se você quer garantir um futuro tranquilo, sem surpresas e decepções, faça esse esforço. Educação financeira vale muito!

Como calcular seu salário / pró-labore para retirada

O ideal é calcular a sua hora de trabalho. Você sabe quanto vale sua hora?

Se você deseja receber R$ 4.000,00 por mês trabalhando 8 horas por dia, apenas em dias úteis, a conta é bem simples: valor desejado (4000) dividido por horas de trabalho (8) dividido dias úteis do mês (21 a 22, em média). Vai dar pouco mais de R$ 23,00, neste exemplo.

Outra opção de cálculo é já ter o valor-hora em mente. Vamos supor que você tenha estipulado sua hora em R$ 70,00 e quer trabalhar 6 horas por mês. O cálculo é valor-hora (70) vezes horas de trabalho (6) vezes dias úteis do mês (21,5). Isso vai dar um total de cerca de R$ 9.000,00 por mês.

Por fim, você precisa levar em conta o que você recebe, de fato, em média. Afinal de contas, não adianta em nada almejar uma retirada de 9 mil mensais se sua empresa recebe 5 mil. Ou seja, você precisa se adequar à realidade atual da sua empresa e do mercado. É preciso realismo.

Então, se você recebe menos do que deseja, trace uma média calculando os recebimentos dos últimos 12 meses. Sendo esses 5 mil reais supracitados, estime um valor de retirada que não deixará sua empresa no vermelho ou sem caixa – isso é, considere os gastos da empresa e um valor de reserva que ficará a seu critério.

Vamos supor que esse valor seja de R$ 4500,00 mensais. Os R$ 500 restantes, então, ficam para gastos da empresa e formação de caixa para aquela reserva de emergências que citei no tópico anterior.

Bonificação

E se sua empresa receber mais do que você calculou para sua retirada?

Em casos assim, calcule uma “bonificação”! Isso seria uma porcentagem do valor a mais que você recebeu. Ou seja, tirando seu salário, gastos da empresa e caixa, se sobrar R$ 1.000,00, pegue uma porcentagem desse valor para você.

É importante que você não pegue integralmente o valor, já que ele ajudará a formar sua reserva.

Tenha auto-controle! É para seu próprio bem.

O que fazer com o dinheiro que sobra na conta da empresa?

A pergunta que não quer calar.

Uma hora sua reserva de emergências estará completa. Pra que continuar guardando dinheiro na empresa?

Bom, que tal um upgrade nos seus equipamentos? Aquela cadeira mais confortável, um mouse com precisão melhor…?

Que tal um pouco de publicidade? Anúncios para tentar atrair mais clientes, coisas assim.

Ou então, que tal investir para fazer essa grana aumentar ainda mais?

Por fim, sejamos justos: se você está ganhando mais, é porque merece. Então, peça um aumento pra você mesmo! Aposto que seus argumentos serão válidos.

Não vou conseguir fazer nada disso

casal fazendo a contabilidade da empresa
E quando as contas não batem…?

Infelizmente, tendo em vista a realidade atual não só do Brasil, mas do planeta, certamente muita gente que leu ou lerá este texto não vai ter condições de seguir essas dicas.

Em alguns casos, sequer a formalização com MEI é possível. Em outros, guardar um dinheiro mensal pra reserva é irreal.

Não sou coach, não acredito nessa tal de meritocracia que muita gente diz existir e nem acho que se você ganha pouco ou gasta muito é porque você não se esforça o bastante.

Claro, na questão dos gastos pode ser que haja o lado psicológico a ser trabalhado. Mas em grande parte das vezes pode ser apenas necessidade.

Em relação aos recebimentos, não há o que discutir. Acordar às 5h da manhã e dormir às 3h não vai fazer ninguém bem-sucedido do dia pra noite. Acumular tarefas e conhecimento também não.

Sim, esforço e dedicação só tendem a ajudar. Mas nada disso faz milagre. Todo mundo tem suas limitações, ideias e características. Se realmente houvesse uma fórmula mágica de enriquecimento, se realmente fosse tudo tão simples quanto fazem parecer, será mesmo que a situação seria a mesma?

O que eu tenho pra dizer é: faça o que está ao seu alcance. Não deixe de correr atrás quando for possível, aprenda sobre educação financeira para ver se você pode controlar alguns gastos e nunca deixe de estudar.

Não é porque você não consegue seguir as dicas que dei por aqui – mesmo que seja só hoje, por mais alguns anos ou, quem sabe, nunca – que está tudo perdido. Cada um tem a sua realidade. Lembre-se disso.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0
Separe ganhos e despesas pessoais do seu negócio

Receba posts por e-mail!

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.

Deixe seu comentário